Saturday, December 03, 2005

QUARTA-FEIRA, 5 DE DEZEMBRO DE 1973

Por fim, aconteceu o indesejável baptismo de guerra. A coluna, comandada pelo furriel Miranda foi emboscada. Os turras quiseram saldar contas antigas com a “velhice” mesmo na hora da despedida. Dezassete militares portugueses, entre mortos e feridos, ficaram prostrados no solo avermelhado da terra que, por empréstimo, os tinha recebido, havia um ano, apenas, aguardando uma evacuação para a morgue ou para a enfermaria, e que, nestes momentos, sempre demora a chegar. Felizmente, os homens da nossa Companhia não sofreram baixas.
Grande coragem e lucidez teve o condutor Pinto para avançar com a pesada Berliet para além da linha de fogo, no segundo imediato ao rebentar do roquete na porta do lado direito, atirando sobre si com o corpo desfeito do homem que seguia sentado a seu lado. Com este valioso acto de coragem, o Pinto conseguiu salvar muitos companheiros das balas do inimigo. Parabéns, Pinto. És o nosso primeiro herói!
Não bastava o sucedido, a coluna teve ainda que gramar com o aparecimento de uma mina anti-carro e de várias anti-pessoais, camufladas na terra da picada.




1 Comments:

Blogger Lília said...

Olá Lídio. Parabéns pelo blogue. Já está nos meus favoritos.
Lília Mata

12:02 PM

 

Post a Comment

<< Home